FILHA, MAE, AVÓ E PUTA


Resumo do livro FILHA, MAE, AVÓ E PUTA

Neste livro, Gabriela conta sua trajetória, que culminou com a criação da famosa marca de roupas Daspu e da Ong DaVida, símbolos hoje reconhecidos internacionalmente. A autora fala nesta autobiografia de todos os tabus que povoam e aguçam a curiosidade do imaginário coletivo em torno da rotina das prostitutas abordado pela autora com absoluta naturalidade. Mãe de duas mulheres e avó de uma menina, Gabriela fala também sobre suas relações familiares.

O Sinopse do Livro está de cara nova. Acesse http://www.sinopsedolivro.net para visitar o nosso novo site com esta e muitas outras sinopses e novas funcionalidades

Autor: Gabriela Leite

43 comentários:

Anônimo disse...

Não dava para ter um nome mais discreto esse livro? O livro pode até ser bom, mas com esse nome, não compro e não quero nem ganhar.
Não sou nenhuma moralista, ou falsa moralista, mas o título é um trnto quanto ultrajante não - pois, como é que alguém pode se orgulhar de dizer que é p......., ou pio, ex-p.........., piorou.
Até parece que essa profissão tem algum glamour, pois, se fosse, não seria um xingamento. Um absurdo publicarem um livro com esse título. Há outras palavras mais amenas para descrever essa lamentável profissão.

Anônimo disse...

Será que ela gostaria que as filhas e netas seguissem a profissão dela?

Anônimo disse...

Daqui a pouco vai ter o livro: "Eu sou viado mesmo, e gosto de dar o c.....", ou, "Eu não sou puta mas gosto que comam meu c.....", ou "Como transo com meus filhos" ou "Me masturbo na frente de crianças" e por ai vai - lamentável tudo isso - só aguça a maldade do ser humano

Geraldo Ramos Júnior disse...

Meu Deus que título forte, poderiam ter caprichado um pouco mais e colocar de uma forma mais sutil. Mas discordo com os demais comentários, afinal eles estão sendo preconceituosos e julgam o livro antes mesmo de lê-los. Confesso que fiquei na curiosidade.

Anônimo disse...

PQP... Indubitavelmente, "não podemos julgar um livro pela capa", acredito que o relato transcrito nesse apresenta um universo desconhecido de muitos e, por isso, aguça a curiosidade. Apesar dos comentários negativos a respeito do titulo, acredito que esta cumpriu o propósito de despertar a curiosidade. Agora quanto a comprar ou não, acho que será a mesma história de sempre quando o assunto é prostituição, "meu amigo comprou e disse que é bom"... há, há, há, há.. . Hipocrisia total!
Betinho KTN.

Lia Girão disse...

Gabriel Garcia Marquez escreveu um livro com a palavra PUTA em seu titulo e recebeu o NOBEL. Agora só porque a autora é uma ex-prostituta, a santa hipocresia desses falsos moralistas a chicoteiam de críticas!!! Salve, salve aos HIPÒCRITAS nacionais!!

Rafaela Carvalho disse...

Ningém deveria jugar um livro pela capa,acho isso um exagero e muita falta de inteligência, pois já presenciei uma situação destas, ñ c/ o mesmo livro: uma colega, que é "testemunha de Jeová"julgou um livro q estou lendo: Anjos e Demônios só pq a capa é um anjo de aparência demôniaca. Acho isso burrice.

Anônimo disse...

Quanta ignorância!!! O brasileiro é mesmo hipócrita!!! Adora ver mulher nua e filme porno, mas quando uma mulher relata sua história de sofrimento e superação, se vê no direito de criticá-la!!!!

Bio-Palmas disse...

Quanta ignorância!!! O brasileiro é mesmo hipócrita!!! Adora ver mulher nua e filme porno, mas quando uma mulher relata sua história de sofrimento e superação, se vê no direito de criticá-la!!!!

CRISTIANE ALCANTARA disse...

MINHA PRIMA APARECEU COM ESTE LIVRO EM CASA E EU JA ME INTERESSEI JUSTAMENTE PELO TÍTULO.CONFESSO QUE LÊ-LO EM LUGARES PUBLICOS COMO NO ONIBUS OU METRO QUE É ONDE CONSIGO LER ME CONSTRANGE UM POUCO, MAS PELOS OLHARES DAS PESSOAS, SINTO QUE ELAS FICAM CURIOSAS TAMBEM. MAS TITULO A PARTE, O CINTEUDO É MUITO BOM.

Anônimo disse...

As pessoas são hipócritas e discriman as outras sem conhece-las e quando aparece alguem que realmente resolve assumir e tem coragem de contar o fez e o que passou,as pessoas ficam fazendo estes comentarios mediocres,quando no fundo tem pessoas que com suas atitudes e maldades que fazem bem pior do que ela fez.Pelo menos ela não prejudicou ninguem e ainda ajuda outras pessoas com suas ongs.

Anônimo disse...

Acho ridiculo criticar este livro pelo titulo,não é o primeiro e nem será o ultimo, pois temos o livro Christiane F...13 anos,drogada e prostituta que foi grande campeã em vendas e tb virou ate filme,pq criticar este livro pelo titulo? ISTO É MUITO HIPOCRISIA...

Anônimo disse...

PARA QUEM NÃO LEU O LIVRO "ONZE MINUTOS" DO PAULO COELHO SAIBA QUE ELE TB DESCREVE A VIDA DE UMA PROSTISTUTA E É UM AUTOR BEM CONCEITUADO E ACEITO PELO PUBLICO,AGORA PQ CRITICAR ESTE LIVRO QUE FALA DE UMA HISTORIA VERIDICA? QUEM NÃO ACEITA,TB NÃO CRITICA,FICA QUIETO QUE É MELHOR.

Anônimo disse...

Não li o livro, mas esstou muito curioso e pretendo comprá-lo em breve. Assisti, num canal de TV à Cabo a entrevista com a autora, foi sensacional! Sou a favor da regulamentação da profissão de prostituta SIM, porque não? Nossa Constituição clama e protege tudo que diz respeito à dignidade humana, e a atividade não é uma atividade humana?
Cachorrinho pode fazer cocô na rua, gays e lésbicas podem fazer passeata, negros podem ter o dia nacional e quotas nas Faculdades, índios são protegidos do Estado, criança e adolescente idem, idosos também, pobre tem direito a bolsa isso e bolsa aquilo, mas, as "putas" essas coitadas tem de viver a vida na marginalidade, excluídas, como se fossem leprosas. Acredito que com a regulamentação da profissão elas, além de muitas utilidades e benefícios para a sociedade, seriam as primeiras a por na cadeia os exploradores do sexo, principalmente aqueles que exploram sexo infanto-juvenil. Com a falta da regulamentação, penso que muita gente influente leva vantagem por baixo dos panos.
Sim a profissionalização, ao respeito pelo próximo, a dignidade das prostitutas. Sou a favor de se criar um movimento nacional em defesa dessa categoria, tão oprimidade ao longo dos séculos, principalmente pelas religiões hipócritas, cujos sacerdates praticam pedofilia.
A autora deveria candidatar-se ao Senado Federal, teria muitos votos, e é honesta.

Anônimo disse...

do um bando de trochas ele se orgulhava do q fazia e hj v6 ñ chegam ne ao pé dela

Anônimo disse...

Alguns dos comentarios anteriores sao puramente preconceituosos , o titulo é forte sim . Mas pra que mascarar a verdade ? Deixem de ser hipocritas e percebam a realidade ,e afinal ler quem quer .

Anônimo disse...

Oas hipocritas que fizeram comentarios negativos: Já leram "Mémorias de minha Putas triste" ??

Ser_AconteCer disse...

Já estou super curiosa para ler o livro que deve ser muito bom! Parabéns a todos os autores e autoras que tomam essa iniciativa de chocar as pessoas! Muito bom! Assim vemos como as pessoas são e o que pensam de fato, e ainda são incapazes de se identificar!

Anônimo disse...

"Só somos livres sobre qualquer coisa, quando tal coisa não é uma questão que nos incomoda".
Portanto, vc que ficou escandalizado com o título do livro, procure uma psicóloga e faça análise, pois é sinal que o assunto da sexualidade ainda é uma questão mal resolvida p/ vc.

RICARDO disse...

Hipocrisia total essas pessoas que criticam.
Como diz o ditado , atire a primeira pedra aquele que nao tiver nenhum pecado.
Pelo menos ela é digna e verdadeira e não tem vergonha de seu passado.Tem gente por ai que se prostitui diariamente atras de propinas,desvios de merendas escolares.
Outros hipócritas que mantém sua linda e unida família ao olhos da sociedade e sai por ai com prostitutas e muitos com travestis e ainda para fazerem a parte passiva na relação.
O livro teria título HEDIONDO se fosse:
FOME, CORRUPÇÃO, VIOLÊNCIA, DESCASO DE UMA NAÇÃO CHAMADA BRASIL!
Isso sim é vergonhoso!
Acordem brasileiros hipócritas.
Chega de futebol e novela, por isso vocÊs não evoluem!

Anônimo disse...

O livro desperta curiosidade justamente pelo nome, ainda não tive a oportunidade de Lê-lo , mas em breve o farei. Estou estarrecida em conviver com tanta gente Cheia de Pudores, e o mais engraçado de tudo é que fazem coisas absurdas às escuras...
Só Deus sabe! KKKKKK

Március disse...

Por que essa gentalha metida à conservadora não pode ouvir ou ler a palavra "puta"? Indecência é ser despido de cultura, informação, educação. Morram protótipos de moralistas!

Anônimo disse...

DUVIDO Q AS PESSOAS Q CRITICAM O TITULO QDO DAO UM PONTAPE NA MESINHA DE CENTRO NAO DIGAM PUTA Q PARIU Q DOR...ENTAO PRA Q RECLAMAR TD MUNDO XINGA,TD MUNDO CHORA,TD MUNDO FAZ NECESSIDADES ORGANICAS...ABRAM O OLHO FAÇAM TERAPIA E LEIAM MEU POVO...FAÇAM MAIS CRITIQUEM MENOS E SEJAM FELIZES...

breuzinho disse...

fiquei sabendo do livro sabado na praia um amigo contou do livro , E como tenho uma amiga que é garota de programa fiquei curioso sobre o livro vo compra-lo hoje pra ler, saudações BREU

Anônimo disse...

Realmente o PRÉ - CONCEITO já vem de berço. O ser humano julga muito pela capa, o título pode ser forte, porém não deixa de ser um ótimo paratexto o qual vai relatar a vida de uma prostituta como outra qualquer, porém a hipocrisia fala mais alto e vive a assombrar a mente dos juvenis sem total nível intelectual e moral, marcas de um povo estigmatizados e excluídos pela sociedade por sua formação sócio – cultural. Cabe apenas aos sujeitos que tenham consciência da realidade em que se passa na casa de milhares de famílias brasileiras, prestigiarem o trabalhado de tão conceituada autora.

Ass. Sujeito Consciente.
Macaé - Rj

Anônimo disse...

Morte aos hipócritas !

Veronica Vidal disse...

Fala sério, alguém se atreve a criticar Gabriel Garcia Marquez com o seu "Memórias de Minhas Putas Tristes"? Não. Existem sim, títulos péssimos, mas este, tem tudo a ver com o livro. De qualquer forma, não se pode julgar um livro/filme/música pelo título.

Veronica Vidal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Bando de idiotas! O livro eh top!

Anônimo disse...

Hipocrisia ferve nesses comentários, preconceito também. Nem ao menos leu o livro para poder julgá-lo. Título forte? É assim que tem que ser. Nada de ficar mascarando só para agradar!

Anônimo disse...

Quanta gente hipócrita.....ela fez por necessidade e vcs senhoras falsas púdicas que sao estupradas por vossos maridos, que chupam, que dao o cu e a buceta do mesmo jeito que ela? vao catar coquinho.........bando de ridiculas

Anônimo disse...

Quanta gente ridicula no mesmo lugar! Qual o problema com o nome do livro?
Qual o assunto que ela aborda? Do que ela fala? O que ela conta?
Não são suas "prostituições"?
Então, qual o problema da palavra "puta".. queria que ela citasse de que maneira? "Vós Pai, me Desculpe por não ter preferido ser freira"

Ah, pelo amor de Deus né, cuidem de suas vidas, se não gosta, não julgue, aposto que nenhum que a critica tem capacidade de escrever livro melhor!

CRESÇAM.

Os 70 Anos de Jucéa disse...

Adoreiiiiiii o título do livro... forte e impactante. Os comentarios preconceituosos acima só mostram a mentalidade de sempre do nosso povo: hipócrita. É melhor ter uma filha q arranja um marido rico e tem varios amantes do que ter uma filha assumidamente prostituta? Não sei... Mas admiro a coragem dessa mulher que colocou a cara a tapa e criou a daspu... a maioria que critica não deve nem saber do que se trata. Aff

Anônimo disse...

Gente!!! o preconceito continua realmente...é pura realidade ela é filha,mae,avo e puta...ela nao deixa de ser uma pessoa normal..naum li o livro..mas vou ler..deve ser interessante..
e novamente...preconceito..naum se esquessam..

Andréa disse...

Li o livro duas vezes e admiro a autora pela sinceridade e a forma natural de passar a leitura para o leitor...ela conseguiu realmente através do livro falar sobre preconceito e abordar assuntos que muitos covardes não têm, só tenho a parabenizar-la pelo seu trabalho.

Anônimo disse...

LI O LIVRO E ACHEI QUE ELA TEVI UMA CORAGEM MUITO GRANDE DE RELATAR SUA VIDA DESSA FORMA... E O QUE MAIS ME DEIXOU ADMIRADA FOI SUA CORAGEM DE NÃO DEIXAR DE VIVER QUE QUE REALMENTE LHE FAZIA FELIZ, QUE SUA VIDA NÃO ERA DE CASA-TRABALHO E DO TRABALHO-CASA. QUE VIVER ESSA VIDA NÃO ERA ELA. PARABÉNS A VOCÊ GABRILA LEITE POR TADA SUA CORAGEM.

Anônimo disse...

acho que essaspessoas nao tem nada melhor para fazer da vida e ficam cuidando da vida dos outros.

Anônimo disse...

acho que essaspessoas nao tem nada melhor para fazer da vida e ficam cuidando da vida dos outros.

MILTON disse...

AINDA NÃO LI O LIVRO, MAS PRETENDO COMPRÁ-LO. PELA POSTURA IMPECÁVEL DE SUA AUTORA, DEVE SER UMA BOA OBRA. TINHA UMA OPINIÃO CONTRÁRIA A RESPEITO MAS HOJE PENSO DIFERENTE. AO ADOTAR O NOME PUTA, A AUTORA DO LIVRO CERTAMENTE ESTÁ QUERENDO DESESTIGMATIZAR A PALAVRA.

Anônimo disse...

A pelo amor de Deus né gente se for para ficar criticando o livro vocês calem essas bocas!Como assim ''o brasileiro é mesmo um hipócrita'' hipócrita é você,e se vocês ainda NÃO lerao não podem falar NADA,porque não sabem sobre NADA do livro.

Santas e Loucas disse...

Eu li o livro e , particularmente, é o melhor livo que li na vida. Me ajudou a perder vários preconceitos e perceber que puta também tem vida. Acho que quem está criticando o título deveria, ao menos, ler antes de falar. E sobre quem perguntou ''Será que ela gostaria que as filhas dela tivessem essa profissão?'' apenas digo: Leia e ela mesma te dará a resposta! Realmente é um título forte, assim como o livro, por isso mesmo não é para pessoas preconceituosas e sem personalidade o suficiente para não ousar nas suas leituras e continuar sempre na mesmice.

Paulo Nascimento disse...

"Eu li o livro e , particularmente, é o melhor livo que li na vida."

Também não vamos exagerar, né?
O livro é bom, mas tem outros iguais por aí, tal qual o da Bruna Surfistinha, relata a fragilidade masculina camuflada.
As vezes essa mesma fragilidade não permite aceitar que alguém considere a palavra PUTA como uma coisa normal.

Paulo Nascimento disse...

"Eu li o livro e , particularmente, é o melhor livo que li na vida."

Também não vamos exagerar, né?
O livro é bom, mas tem outros iguais por aí, tal qual o da Bruna Surfistinha, relata a fragilidade masculina camuflada.
As vezes essa mesma fragilidade não permite aceitar que alguém considere a palavra PUTA como uma coisa normal.